Oração a Jesus no Tabernáculo

Sta. Teresa de Lisieux

Ó Deus escondido na prisão do tabernáculo! é feliz que volto para perto de vós todas as noites, para vos agradecer as graças que me concedestes e implorar o perdão das faltas que cometi durante o dia que acaba de passar como um sonho…

Ó Jesus! como eu ficaria feliz se tivesse sido bem fiel, mas pobre de mim! muitas vezes fico triste, à noite, pois sinto que poderia ter correspondido melhor às vossas graças… Se eu fosse mais unida à vós, mais caridosa com minhas irmãs, mais humilde e me mortificasse mais, teria menos dificuldade para conversar convosco na oração. No entanto, ó meu Deus! bem longe de desanimar vendo minhas misérias, venho a vós confiante, lembrando-me que: “Não sãos os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes”. Eu vos suplico, pois, a cura, o perdão, e me lembrarei, Senhor, “que a alma à qual perdoastes mais deve também amar-vos mais que as outras!” Ofereço-vos todas as batidas de meu coração como outros tantos atos de amor e reparação, e os uno aos vossos méritos infinitos. Suplico-vos, ó meu Deus Esposo, que sejais vós mesmo o Reparador de minha alma, que opereis em mim sem levar em conta minhas resistências, enfim, já não quero ter outras vontades senão a vossa; e amanhã, com o auxílio de vossa graça, recomeçarei uma vida nova da qual cada instante será um ato de amor e de renúncia.

Depois de vir, assim, todas as noites ao pé de vosso Altar, chegarei finalmente à última noite de minha vida; então, começará para mim o dia sem ocaso da eternidade em que repousarei, sobre vosso Divino Coração, das lutas do exílio!…

Assim seja.

# Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg
 
Copyright © 2013 Amigos da Cruz