Qual o maior mandamento?

 "Mestre, qual é o maior mandamento da Lei? 
Amarás o Senhor Teu  Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento! E o segundo é semelhante a este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo." (Cf. Mt 22, 36-38)

Se na minha vida falta totalmente o contacto com Deus, posso ver no outro sempre e apenas o outro, e não consigo reconhecer nele a imagem divina. Mas, se na minha vida negligencio completamente a atenção ao outro, importando-me apenas ser “piedoso” e cumprir os meus “deveres religiosos”, então definha também a relação com Deus. Neste caso, trata-se duma relação “correta”, mas sem amor. Só a minha disponibilidade para ir ao encontro do próximo e demonstrar-lhe amor me torna sensível também diante de Deus. Só o serviço ao próximo abre os meus olhos para aquilo

Como Cristo, tomar a Cruz

Cruz gloriosa
Veja como por você ele se fez desprezível e siga-O, sendo desprezível por Ele neste mundo. Com o desejo de imitá-Lo, (…) olhe, considere, contemple o seu esposo, o mais belho entre os filhos dos homens feito por sua salvação o mais vil de todos, desprezado, ferido e tão flagelado em todo o corpo, morrendo no meio das angustias próprias da Cruz.
Se você sofrer com Ele, com Ele vai reinar; se chorar com Ele, com Ele vai se alegrar; se morrer com Ele  na

A Vigilância e seu prêmio

São Boaventura
Vigiai de tal maneira, com afetos incessantes, fervorosas no espírito da devoção, que, quando se ouvir o clamor e chegar o Esposo, possais ir fielmente ao seu encontro com lâmpadas cheias do óleo do amor e da alegria, prontos para entrar com Ele nas bodas da felicidade eterna, com exclusão das virgens loucas. Lá, Cristo vai acomodar suas esposas com os anjos e os eleitos e passará a servir-lhes o pão da vida, a carne do Cordeiro imolado, o peixe assado na Cruz, cozido no fogo do amor em que vos amou fervorosamente. Dar-vos-á a beber o vinho mesclado se Sua Humanidade e Divindade, de que bebem os amigos e se inebriam os mais queridos com admirável sobriedade. Desfrutarão de vez em quando da transbordante doçura reservada

A confissão

Confissão
A confissão é um ato magnífico, um ato de grande amor. Só aí podemos entregar-nos enquanto pecadores, portadores de pecado, e só da confissão podemos sair como pecadores perdoados, sem pecado.
A confissão nunca é mais do que humildade em ação. Dantes chamávamos-lhe penitência mas trata-se na verdade de um sacramento de amor, do sacramento do perdão. Quando se abre uma brecha entre mim e Cristo, quando o meu amor faz uma fissura, qualquer coisa pode vir preencher essa falha. A confissão é esse momento em que eu permito a Cristo suprimir de mim tudo o que divide, tudo o que destrói. A realidade dos meus pecados deve vir primeiro.

 
Copyright © 2013 Amigos da Cruz