Prisioneiro do amor



Ah! Como é bom sentir a doce paz
E o amor que, suave, me leva a sorrir
É, você chegou. Qual ladrão me fitou
E roubou para si o meu coração.

E agora sem forças eu sou prisioneiro
Do mais belo amor
Do doce Jesus
Do meu bem da cruz,
Jesus

Nicodemos Costa
in álbum "Revelação", Comunidade Shalom

Que bom é contemplar o rosto do pequeno infante de Belém e perceber que Ele, já tão pequenino, nos  rouba o coração! Dele vê-se uma luz maravilhosa irradiar-se e atingir direto a nossa alma!
Como imaginar que este pequeno, anos depois, estará de braços abertos, deitado num outro madeiro que não o da manjedoura?
É que os dois Mistérios - o da Manjedoura e o da Cruz - são um único e mesmo Mistério: do amor de Deus por nós, da nossa Redenção. Adoremos o Cristo da gruta e o Homem do Calvário, no madeiro da menjedoura e no madeiro da Cruz. Amemos o Amor de Deus por nós.
# Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg
 
Copyright © 2013 Amigos da Cruz